CPTM afasta seis agentes por suspeita de racismo e agressão contra irmãos Gêmeos


A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) afastou das atividades seis seguranças suspeitos de racismo e de agressão física contra dois irmãos na estação Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo.
Os dois jovens foram abordados na terça-feira (6) após as 22h e, de forma truculenta, após Danilo Evangelista ter sido autorizado por uma funcionária a usar o banheiro e levados para uma “salinha” reservada ainda dentro da estação. 

Os usuários começaram a gravar vídeos e a chamar os seguranças de "racistas". Cerca de 30 pessoas permaneceram no local até a liberação dos dois irmãos.


Em nota, a CPTM informa que "não admite qualquer ato de violência durante o exercício da função dos agentes de segurança próprios e terceirizados. A Companhia abriu investigação interna para esclarecer a ocorrência na Estação Palmeiras-Barra Funda, na noite de terça-feira (6) e afastou os agentes envolvidos até a conclusão da apuração. Caso seja comprovado abuso de poder e excessos cometidos durante a ação, serão tomadas as medidas administrativas cabíveis."

“Me chamaram de macaco, preto. Falaram que a gente era drogado”, relembra.

Uma mulher que presenciou as agressões foi até a delegacia com os irmãos para testemunhar. “Eu achei que fosse racismo, porque eles são morenos. Senti revolta, porque eu não gosto de nenhum tipo de violência”, conta ela.
Os seguranças serão investigados por injúria racial, lesão corporal e abuso de autoridade.
Assista a um trecho da ação:

Seguranças do metro agridem irmãos gêmeos por thevideos11
Tecnologia do Blogger.