GREVE NO METRÔ: Após assembleia, metroviários de SP prometem greve no próximo dia 05


O Sindicato dos Metroviários de São Paulo realizou assembleia extraordinária nesta segunda-feira (28) e afirmou que ocorrerá uma greve no transporte na próxima terça-feira (05).

A assembleia desta segunda foi realizada, segundo o sindicato, em “consequência da demissão injusta e arbitrária do companheiro Operador de Trem Joaquim José em 2 de janeiro”. A Secretaria paulista de Transportes Metropolitanos informou ter determinado a demissão do operador de trem que, segundo a pasta, afetou a circulação da Linha 1-Azul do Metrô na última terça-feira (22). O governo alega que o funcionário “ocasionou transtorno a milhares de cidadãos e trabalhadores” em ato que causou problemas por duas horas.

“Também ameaça retirar a Periculosidade de companheiros da Pintura Industrial e dos trabalhadores com restrição médica ou com processo judicial, e descumpre o acordo feito com o governo estadual quanto aos enquadramentos dos oficiais do CCV”, diz nota do sindicato. Além disso, a empresa se recusa a realizar equiparação dos funcionários com esse direito e está praticando retaliações a quem entrou com ação de intrajornada.

Outra grave ameaça está no avanço da privatização e da terceirização das bilheterias e o não cumprimento do edital de concurso público que estabelece pagamento dos devidos adicionais a todos OTMs1”, traz a nota divulgada pelo sindicato.

Confira abaixo as decisões tomadas na assembleia extraordinária:
– Retirada de uniforme a partir de 30 de janeiro

– Uso do adesivo contra a privatização a partir de 31 de janeiro

– Ato público no CCO no dia 31 de janeiro, a partir das 15h, pelo cancelamento da demissão de Joaquim José. A partir das 17h, ato unificado na estação Sé, com distribuição de Carta Aberta à População

– Publicação de matéria no jornal MetrôNews, no dia 31 de janeiro, denunciando o crime ambiental em Brumadinho (MG) como consequência da privatização da Vale. Também será explicada a demissão arbitrária de Joaquim José


– Continuidade da circulação em todas as áreas de abaixo-assinado pelo cancelamento da demissão de Joaquim José

– Entrega ao Metrô de todas as manifestações contrárias à perseguição contra o coordenador-geral do sindicato, Alex Fernandes

– Envio ao Metrô de solicitação de esclarecimentos com relação à queda do segundo trilho no Monotrilho (Linha 15-Prata) no dia 28 de janeiro.

– Publicação de matéria no jornal MetrôNews, no dia 04 de fevereiro, informando sobre a greve dos metroviários em 05 de fevereiro

– Assembleia em 04 de fevereiro

– Greve em 05 de fevereiro

– Não realizar horas extras e quebra-galhos

– Reunião no Sindicato, em 16 de fevereiro, com várias categorias do funcionalismo para tentar unificação das Campanhas Salariais.

(*) Com informações da Jovem Pan


   DEIXE SEU COMENTÁRIO   

            LEIA TAMBÉM:           


Tecnologia do Blogger.