Veja as 10 estações do Metrô onde a Central de Achados e Perdidos mais fez recolhimento de objetos em 2018


Foto: Eduardo Silva

O balanço anual da Central de Achados e Perdidos do Metrô (CAP) registrou em 2018 um novo recorde de objetos deixados no sistema. De janeiro a dezembro do ano passado, 91.367 itens foram cadastrados pelos funcionários, média de 7,5 mil novos objetos todo mês, indicativo que reforça a confiabilidade deste serviço junto aos usuários. Em 2017 haviam sido catalogados 82.512 objetos e no ano anterior foram 79.842 registros.

O maior percentual de tudo que foi esquecido nas estações do Metrô em 2018 continua sendo o de documentos (62%). Já o restante (38%) é de objetos dos mais variados tipos, tamanhos e utilidades, entre eles: artigos de papelaria, carteiras, peças de vestuários, óculos, relógios, aparelhos de celular, instrumentos sonoros, brinquedos, alianças, chaves, etc.


As dez estações com maior número de objetos e documentos perdidos no ano passado foram a Sé, Palmeiras/Barra Funda, Jabaquara, Corinthians/Itaquera, República, São Bento, Ana Rosa, Tucuruvi, Trianon-Masp e Paraíso. 

Vale lembrar que o Posto de Atendimento da Central de Achados e Perdidos funciona na estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7 às 20h. Todos os objetos recolhidos nas estações das linhas 1, 2, 3 e 15, operadas pelo Metrô, e da linha 4-Amarela, que é operada pela ViaQuatro, são encaminhados para a Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias.



As consultas de documentos e objetos identificados também podem ser realizadas por meio da Central de Informações do Metrô, pelo telefone 0800-770 7722, todos os dias, das 5h00 às 00h00, ou ainda pelo site do Metrô (www.metro.sp.gov.br). Em 2018, foram quase 122 mil consultas ao Sistema de Achados e Perdidos do Metrô, média de 333 consultas por dia. Só no guichê do posto de atendimento pessoal da Sé foram realizados mais de 32 mil atendimentos ao longo do ano. Resultado de tanta dedicação é que mais de 21 mil pertences foram devolvidos a seus donos, o que representa cerca de 23,2% de tudo que foi recebido. Em 2017, foram devolvidos aproximadamente 19 mil itens, ou seja, cerca de 22,5% do total recolhido.

Após 60 sob cuidados da CAP, os objetos em bom estado e os valores não devolvidos são encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Já os documentos são destinados aos respectivos órgãos emissores. Para evitar a perda de objetos e documentos, o Metrô recomenda aos usuários que fiquem atentos aos itens que estão sendo transportados e observem seus pertences antes do desembarque. É importante também que os objetos tenham sempre algum tipo de identificação, o que facilitará a localização do proprietário e sua devolução pela Central de Achados e Perdidos.



   DEIXE SEU COMENTÁRIO   

           LEIA TAMBÉM:            
Tecnologia do Blogger.