Com apenas um concorrente, Linha 15-Prata do monotrilho é concedida em leilão por R$ 160 milhões ao Grupo CCR

Linha que atende a Zona Leste foi concedida ao Grupo CCR. Previsão de João Doria é de inaugurar mais quatro linhas até o final de 2019.
Foto: Marvyn Munhoz/Mobilidade SP

Com apenas um concorrente, a Linha 15-Prata do monotrilho foi concedida por R$ 160 milhões ao Grupo CCR, único interessado, durante leilão realizado na segunda-feira (11) na sede da B3, antiga BM&FBOVESPA, no Centro de São Paulo. A outorga mínima era de R$ 159 milhões.

De acordo com o governador João Doria (PSDB), a Linha 15-Prata tem 7.8 km de extensão com seis paradas e até o final de 2019 mais 4 estações estarão operando. A meta é a linha atender 300 mil pessoas por dia.


A CCR, gigante no setor de transporte e logística, única interessada na linha, já administra outras duas linhas de Metrô em São Paulo. Doria falou sobre a ausência de mais proponentes no leilão.

"É a regra, podem se apresentar uma, duas, três, quantas empresas desejarem. A regra é muito clara, tendo uma proposta ela é analisada como foi essa, ela é válida e ela é importante. O triste seria vazio, ou seja, estarmos todos aqui decepcionados pela falta de uma empresa com interesse na conclusão em uma linha tão importante quanto essa da Linha Prata do Metrô, se tivermos mais competidores, melhor, mas se tivermos sempre uma que assuma a responsabilidade de levar adiante e concluir a obra dentro do prazo e das condições propostas, assim será", disse Doria.

Histórico
A Linha 15-Prata começou a ser construída em 2009. O projeto previa ligar a Vila Prudente até Cidade Tiradentes até 2012. As primeiras duas estações, Oratório e Vila Prudente, porém, ficaram prontas somente em 2014.



Em 2016, o Metrô anunciou que o projeto deveria ser encolhido em 13 quilômetros e perder oito estações. A estação final passou a ser a São Mateus.

Quatro estações foram abertas em abril de 2018. A segunda etapa das obras das sete estações restantes, está parada.

De acordo com o governador, a obras serão recomeçadas "imediatamente".

"Nosso governo de São Paulo é liberal, um governo que acredita e aposta na livre iniciativa e é pró-mercado. Acredita também que programas de concessões, parcerias e privatizações melhoram a condição da qualidade do serviço público em São Paulo e certamente no pais. Quando falamos em transporte público, falamos de atendimento à população mais carente do nosso estado e em especial da nossa região metropolitana", disse Doria.

(*) Com informações do Portal G1


   DEIXE SEU COMENTÁRIO   

            LEIA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.