Por falta de cobrador em linhas da região de Campinas EMTU aplica 832 multas em dez meses

Fiscalização foi intensificada, segundo o órgão, e a média foi de 92,4 multas por mês nos últimos dez meses. Valor arrecadado chegou a R$ 173,4 mil.


Foto: Reprodução/G1

As empresas de transporte metropolitano da Região Metropolitana de Campinas (RMC) receberam, de julho de 2018 a abril de 2019, 832 autuações por falta de cobrador. De acordo com dados da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), a fiscalização foi intensificada e a média foi de 92,4 multas por mês nos últimos dez meses.

O número já é 143% maior que o último período de 12 meses analisado pela empresa, que vai de agosto de 2017 a julho de 2018, quando a EMTU aplicou 342 autuações - com média de 28,5 por mês. As 832 multas dos últimos dez meses resultaram na arrecadação de R$ 173,4 mil, de acordo com dados do órgão estadual.


A EPTV, afiliada da TV Globo, acompanhou uma viagem na linha 709, que vai de Monte Mor (SP) para Campinas (SP) e verificou os transtornos e o tempo perdido por conta da falta de cobrador. A equipe entrou no ônibus às 5h52 e às 6h10 o coletivo já estava completamente lotado.

“Muitas vezes o motorista fica parado porque ele tem que cobrar a passagem e não pode dirigir, ele tem que fazer tudo. É um transtorno, a gente acaba chegando atrasado no serviço por causa disso”, disse uma das passageiras.

A viagem de Monte Mor a Campinas durou 59 minutos, sendo que, deste tempo, nove minutos foram com o ônibus parado para o motorista cobrar as passagens. Além disso, por conta da lotação, o condutor do coletivo não consegue ver se as pessoas já desceram nos pontos e precisa ser avisado pelos passageiros.


O que dizem as empresas
O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) não respondeu os questionamentos sobre a falta de cobrador e, em relação à superlotação, informou que os ônibus trabalham dentro da capacidade prevista no horário de pico.

Já a EMTU informou que vai intensificar mais ainda a fiscalização e, caso sejam constadas as irregularidades, vai multar as empresas, como prevê a lei. Nos últimos seis meses, a linha 709 foi multada 25 vezes, segundo a empresa.

(*) Com informações do Portal G1


   DEIXE SEU COMENTÁRIO   

            VEJA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.