GREVE NA CPTM: Sindicato representante das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM confirma paralisação na Greve geral do dia 14


Em nota divulgada nas redes sociais, o Sindicato dos Ferroviários, que representa os trabalhadores das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) decidiram em assembleia realizada nesta sexta-feira, dia 7 de junho de 2019, que os funcionários destas duas linhas irão parar na greve geral que deve ocorrer em todo o país no dia 14 de junho.

Linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade

Com isso, passa para cinco o número de linhas da CPTM que confirmaram adesão à greve do dia 14. Em assembleia realizada na última quarta-feira, dia 05 de junho, na sede do Sindicato da Central do Brasil que representa os funcionários das linhas 11-coral, 12-Safira e 13-Jade da CPTM, foi decidido também que haverá paralização dos trens das respectivas linhas por 24 horas, a partir da meia noite do dia 14.


Na próxima quinta-feira, dia 13 de junho, haverá uma nova assembleia deliberativa da greve a partir das 18h00, para organização e concentração da greve destas três linhas segundo nota do Sindicato da Central do Brasil.

Linhas 8-diamante e 9-esmeralda

De acordo com uma matéria do site Diário dos Transportes, os trabalhadores das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda informaram, por meio do sindicato, que não estão organizando oficialmente adesão à greve geral.

A assessoria de imprensa do Sindicato Sorocabana, que representa os trabalhadores destas linhas, informou que só realiza assembleia para questões trabalhistas e que não toma nenhuma medida para “questões políticas”.

“Os funcionários podem parar, mas por vontade própria, sem o Sindicato estar à frente. O Sindicato Sorocabana estará no movimento, porém sem tomar a frente nesta questão”, informou a entidade, em nota.


Greve no Metrô

Em assembleia realizada ontem, dia 6 de junho, foi decidido que o Metrô de SP participará da greve geral que será realizada no dia 14 de junho. A paralisação ocorrerá a partir da meia noite do dia 14 e terá a duração de 24 horas. Haverá também no dia 13 de junho uma nova assembleia para a organização da Greve.

Greve Geral

A greve é um protesto contra a reforma da previdência do Presidente da Republica Jair Messias Bolsonaro.

A greve geral programada pelas centrais sindicais está sendo preparada em ritmo de mobilização total. Os sindicalistas estão em esforço concentrado e atuando com a meta de colocar nas ruas no mínimo a mesma quantidade de pessoas que aderiram à greve de abril de 2017, contra as reformas da Previdência e trabalhista de Michel Temer.

A adesão da greve por parte dos trabalhadores das áreas de transporte é fundamental para o sucesso da mobilização porque surte um forte impacto, especialmente nas grandes cidades.


            VEJA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.