Pesquisa mostra que 97% das mulheres entrevistadas já foram assediadas no transporte publico

De acordo com os dados, 97% das entrevistadas já foram assediadas no transporte e 71% conhecem alguma mulher que já sofreu assédio em público.

Foto: Cauê Gomes

Uma pesquisa realizada pelos Institutos Patrícia Galvão e Locomotiva, em parceria com uma empresa de transporte por aplicativo, confirmou que o assédio sexual faz parte da rotina da maioria das mulheres brasileiras. De acordo com os dados, 97% das entrevistadas já foram assediadas no transporte e 71% conhecem alguma mulher que já sofreu assédio em público.

Desde 2018, a importunação sexual é crime e quem pratica pode pegar de 1 a 5 anos de prisão. O assédio sexual é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem o consentimento da vítima. As denúncias devem ser feitas pelo número 180.


Em caso de assédio, a orientação é fazer a denúncia na hora. “As companhias e concessionárias devem oferecer canais para denúncias. As mulheres devem fazer as denúncias dentro do transporte, assim que aconteceu e na sequência registrar o boletim de ocorrência. As imagens de câmeras de segurança vão comprovar o crime e viabilizar o cumprimento da legislação”, orienta Pierucetti.

Assédio sexual nos trens

As passageiras da CPTM também são alvos desse tipo de crime. Em quatro anos, o número de denúncias aumentou 85%, segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos . Em 2010 foram 53 ocorrências, já em 2014 o número subiu para 131.


Segundo a CPTM, esse crescimento é resultado das campanhas de conscientização realizadas pela companhia que encorajaram as mulheres a denunciarem. A companhia informou também que repudia todos os tipos de crime, especialmente os de natureza sexual e age para coibir esta atitude criminosa.

A CPTM disse ainda que conta com câmeras que auxiliam no monitoramento e identificação de suspeitos. Os passageiros podem comunicar ocorrências de assédio sexual nos trens pelo SMS-denúncia, no telefone 97150-4949.

(*) Com informações do Portal G1


            VEJA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.