Falta de troco derruba preço da passagem em algumas estações da CPTM e Metrô de SP

Há pelo menos dois meses, bilhetes são vendidos a R$ 4,00 nos guichês dessa e de outras estações - valor da tarifa é de R$ 4,30

Foto: Rubens Cavallari/Folhapress

Há pelo menos dois meses, passagens do Metrô de SP e da CPTM na estação da Barra Funda, na Zona Oeste da capital, são vendidas por um preço mais barato. Lá, os bilhetes custam R$ 4,00 nos guichês, R$ 0,30 mais em conta em relação ao valor original da tarifa.

Em janeiro de 2019, o preço da passagem subiu para R$ 4,30, após um reajuste feito pelo Governo de São Paulo. Antes disso, os passageiros gastavam R$ 4,00 reais para usar esse tipo de transporte público.


A justificativa pela cobrança da tarifa menor é a mesma ao longo de todo esse período: falta de troco. Os usuários que deixam para comprar o bilhete na hora têm se deparado diariamente com um aviso colado nos vidros do guichê: “Bilhete unitário, valor arredondado para R$ 4,00 reais. Temporariamente, devido à falta de troco”.

Durante esse tempo, a Secretaria de Transportes Metropolitanos, que administra a operação do Metrô e dos trens em São Paulo, sustenta que falta dinheiro trocado até mesmo em uma das estações mais movimentadas da cidade. Com uma linha de Metrô e duas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a Barra Funda é caminho para cerca de 355 000 pessoas diariamente.

A medida adotada na parada tem inclusive desestimulado alguns passageiros a usar o Bilhete Único, por meio do qual há cobrança integral da tarifa. “Se eu tivesse visto que o preço era de R$ 4,00, nem teria carregado o Bilhete Único agora”, diz a agente de atendimento Aline Muniz, que mora em Taboão da Serra, na região metropolitana, e passa pela Barra Funda para ir para o trabalho.

Para a estudante Gabrielle Nascimento Correia, comprar a passagem no guichê tem valido a pena. “Ainda mais para mim, que perdi meu Bilhete Único ontem, é uma maravilha”, afirma.


Outras estações

A Barra Funda não é a única estação onde o bilhete tem sido vendido mais barato. Na Linha 4-Amarela, isso também acontece. A reportagem também identificou o fenômeno nas estações São Paulo/Morumbi e Oscar Freire.

A Secretaria de Transportes Metropolitanos não informou em quantas paradas a passagem está sendo vendida a R$ 4,00. Não relatou também o quanto está deixando de arrecadar para subsidiar o transporte público sobre trilhos na capital com a medida.

Em nota, a pasta comunicou apenas que “a falta de troco não é constante e varia em função dos dias, horários e estações”. Afirmou ainda que já pediu que o Banco Central aumente a cota de distribuição de moedas e está fazendo campanhas de estímulo para uso de dinheiro trocado.

“Apenas 15% dos passageiros do Metrô usam bilhete em papel com pagamento em dinheiro no guichê. Na CPTM, esse percentual é de 24%”, diz o texto.

(*) Com informações da Veja SP


            VEJA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.