Funcionário do Metrô de SP é esfaqueado por morador de rua na estação da Sé


Foto: Blog da Tê

Um funcionário do Metrô de São Paulo foi esfaqueado por um morador de rua na madrugada da última sexta-feira, dia 13 de setembro, na estação da Sé, no centro da capital paulista. Ele foi esfaqueado após impedir que o morador de rua entrasse na estação sem pagar tarifa, as informações são do site Rede Noticiando.

De acordo com informações, o morador de rua pediu para poder passar pela catraca sem pagar tarifa, mas teve seu pedido negado pelo controlador de acesso que estava no local. Não satisfeito com a negativa, o homem tentou novamente entrar na estação, mas desta vez sem pedir autorização, quando o controlador de acesso foi impedir, o agressor sacou uma faca e deferiu duas facadas na vítima.


Segundo o Rede Noticiando, a intenção do agressor era acertar o tórax da vítima, que colocou o braço na frente para se proteger. As facadas causaram uma perfuração 11 e 9 centímetros no antebraço do controlador de acesso.
  
Após o crime, o agressor fugiu, mas foi capturado logo após por seguranças do Metrô em uma rua que fica no entorno da estação. Ele foi detido e conduzido até o 2° Distrito Policial, onde foi feito um Boletim de Ocorrência. O agressor tem uma ficha corrida com a justiça, com artigos 157 e 151 ficando preso por mais de 20 anos, informou o site.

O Metrô de SP emitiu a seguinte nota ao Portal:
” Na manhã de hoje, ao impedir uma pessoa de passar pelo bloqueio sem pagar, o operador do Metrô foi atingido por golpes de faca que causaram graves perfurações.

O autor foi detido e encaminhado para o 2º Distrito Policial.
O Metrô é contra toda e qualquer agressão e fraude contra o erário público”.


O sindicato dos metroviários postou à seguinte nota:
” Os casos de violência contra funcionários têm sido cada vez mais frequentes e assustam toda a categoria. O Sindicato tem feito constantes denúncias apontando a falta no quadro de funcionários, pois avalia que isto propicia para o alto índice de agressões aos metroviários.

Este tipo de situação, que envolve pessoas em vulnerabilidade, assim como em ocorrências com ambulantes do comércio ilegal no metrô, é consequência da grave crise que o País atravessa. O alto índice de desemprego, do desalento, da piora das condições de trabalho e o crescimento da miséria refletem diretamente neste caos social. Portanto a grande responsabilidade é dos governos que devem atuar para resolver estes problemas.

O Sindicato exige mais segurança para os trabalhadores e usuários do transporte. Há tempos denunciamos os casos e defendemos estratégias e melhores condições para os funcionários em suas funções. Solicitaremos uma reunião urgente com a empresa para reivindicar soluções emergenciais, ao mesmo tempo que organizaremos setoriais com os funcionários da estação Sé para debater medidas que evitem os riscos”.

LEIA TAMBÉM:


            VEJA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.