Fachada da Estação Brás da CPTM passará por restauração em SP

Estação terá recursos da iniciativa privada para a preservação de sua fachada lateral histórica.

Foto: Sergio Brisola


A estação Brás da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) passará por uma restauração de sua fachada lateral. Para que os trabalhos sejam iniciados, é preciso aguardar a aprovação do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico (Condephaat).

O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) e a própria CPTM já deram o aval para que a restauração aconteça.


“Essa fachada é inteira de tijolos. O que foi diagnosticado é que ela sofreu depredação, ela sofreu pichações e isso tudo precisa ser recuperado. Então, basicamente, é uma prevenção de conservação da fachada. O projeto de restauro contempla a recuperação, limpeza, remoção de pichações, recomposição de elementos da fachada de tijolos”, explica o arquiteto do departamento de projetos da CPTM, Felipe Araki.

A fachada tem 110 metros de extensão, dividida em 16 módulos, e 8,5 metros de altura, sendo composta por alvenaria de tijolo aparente

“As duas marquises da fachada serão restauradas. São estruturas de madeira, com estrutura metálica e telhas de zinco. Toda essa fachada remete muito aos materiais que a gente encontra na Estação da Luz. E também toda a marquise de madeira vai ser recuperada. Outras intervenções também serão feitas na calçada, onde é preciso nivelar, pavimentar e melhorar a iluminação”, finaliza o arquiteto.


O restauro da estação será feito através da iniciativa privada. Segundo informações da CPTM, devido ao surgimento de um empreendimento comercial na região, a incorporadora será a responsável por arcar com os custos desse restauro.

“A construtora tem o empreendimento e precisa procurar o licenciamento. Diante disso, os órgãos de preservação indicaram para ela, como uma contrapartida ao empreendimento, o restauro da estação”, conta o gerente de projetos da CPTM, Eduardo Tavares.

O prazo estimado para a conclusão da restauração é de 4 meses a partir do início das obras. A última intervenção para a preservação da fachada aconteceu em 2002.

(*) Com informações do Portal G1

            VEJA TAMBÉM:           

Tecnologia do Blogger.